12.1.11

Bicicleta escolar é alternativa para chegar à sala de aula



Chegar à escola ou ao ponto do ônibus escolar é um sacrifício para muitos alunos brasileiros. Boa parte deles precisa acordar ainda de madrugada e percorrer quilômetros a pé, já que muitos caminhos nas áreas rurais e até mesmo urbanas são intransitáveis para veículos automotores. Mas agora, estados, municípios e o Distrito Federal já podem alterar esse quadro e facilitar a vida de seus estudantes. Para isso, basta aderir ao registro de preços promovido pelo FNDE para a compra de bicicletas escolares de aros 20 e 26, por meio do programa Caminho da Escola.

"A bicicleta vai servir para estudantes que moram em localidades onde os veículos rodoviários não chegam, tanto nas áreas rurais quanto nas urbanas", afirma o coordenador geral de transporte escolar do FNDE, José Maria Rodrigues de Souza. "Além disso, tem impacto zero sobre o meio ambiente e ainda vai ajudar os estudantes a terem uma atividade física saudável". Segundo ele, a bicicleta escolar tem especificações que lhe garantem resistência maior que a das bicicletas comuns, como o quadro reforçado.

Protótipos da bicicleta escolar já foram testados nas cinco regiões do país e receberam avaliações altamente positivas por parte dos alunos e de seus pais.

Para participar do programa, o gestor local deve preencher um ofício seguindo o modelo publicado na Resolução nº 40/2010 do FNDE, assina-lo e enviá-lo à autarquia com a quantidade de bicicletas que pretende comprar. O prazo para entrega da mercadoria é de, no máximo, 90 dias a partir da assinatura do contrato.

Os preços das bicicletas variam de acordo com a região do país:

Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Roraima e Rondônia: aro 20 (R$ 256); aro 26 (R$ 257)
Tocantins e Bahia: aro 20 (R$ 258); aro 26 (R$ 259)
Maranhão: aro 20 (R$ 252); aro 26 (R$ 253)
Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte: aro 20 (R$ 254); aro 26 (R$ 255)
Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe: aro 20 (R$ 255); aro 26 (R$ 256)
Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul: aro 20 (R$ 263); aro 26 (R$ 268)
Minas, Espírito Santo, Rio e São Paulo: aro 20 (R$ 240,50); aro 26 (R$ 256,50)

Fonte: FNDE


3 comentários:

Erlon Marum disse...

Utilizar a bicicleta é uma ótima alternativa para o transporte, seja para ir a escola ou para qualquer outro local.
Os professores de educação física deverão preparar-se para esta demanda de informações que o mundo das bicicletas necessita, pois a falta de informação é geral e não temos ainda uma cultura do uso da bicicleta como meio de transporte regular.
Mas sem dúvida alguma essa é uma ótima iniciativa.
Erlon Marum - especialista em bicicletas-www.ciclismosorocaba.com.br

manouchk disse...

Muito interessante essa possibilidade. Poderia muito bem ser aproveitado na Grande Vitória (ES). O Brasil precisa promover o uso da bicicleta nos jovens. Adultos geralmente não conseguem mudar do carro para a bicicleta porque são mais conservadores e/ou não tem mais capacidade física para aguentar a bicicleta).
Eu comecei a ir para minha escola de bicicleta quando for possível mas a maioria (100% menos eu) vai para o trabalho exclusivamente de carro (grande maioria), moto ou ônibus (minoria) enquanto o professor deveria ser um agente de transformação, para a mobilidade nas cidades. Ele é mais um pessoa que mostra para os alunos uma maneira conservador e hegemônica, não sustentável de ir trabalhar. Assim fica difícil melhorar a qualidade de vida...

Os problemas de trânsito aqui são enormes e os ônibus não podem ser a única solução precisa diversificar os meios de transporte. A bicicleta é uma alterntivas muito boa. Até chegar ao nível da Hollanda, por exemplo, o Brasil tem muita coisa para fazer, ciclovias, bicicletários (na escolas por exemplo) etc. Esse programa de compra de bicicleta é uma excelente oportunidade tanto para o espaço rural e urbano. Aqui na Grande Vitória no entanto precisamos tomar muito cuidado porque as ruas são ainda muito perigosas com motoristas desrespeitando as lei de trânsito (entre outras coisas: velocidade acima do limite e ameaças aos ciclistas que anda nas ruas ,"colando" o ciclista e até buzinando para ele se retirar da rua o que é uma infração gravíssima), impunidade (por exemplo, nunca vi nenhuma fiscalização de velocidade na grande Vitória, ainda menos um motorista ameaçando um ciclista ser preso)...

Edilson Vieira disse...

Grande iniciativa que pode e deve ser disseminada por todo o país. Boa parte do problema de transporte escolar estaria resolvido com essa doação de bicicletas por parte do governo para crianças carentes. Que os beneficiados agora saibam acolher e honrar o programa.